Fixe-city

O FixeMóbil

Esta segunda e terça feira estivemos na escola André de Resende com as actividades do nosso projecto: o fixemóbil, um “carro” que parodiava uma entrega extravagante de uma criança na escola com direito a uma grua e tudo, instalámos um sensor de qualidade do ar (mede partículas 20 vezes inferiores ao diâmetro de um cabelo), a mesa da mobilidade que permite perceber como as crianças se deslocam diariamente para a escola e como o gostariam de fazer e , por último, com a exposição do Projecto. A exposição pretende mostrar as vantagens de uma cidade centrada na mobilidade das pessoas face à mobilidade das cidades centradas nos carros.

Nestes dois dias passaram pelas nossas actividades 8 turmas, cerca de 200 crianças.  Cerca de ⅓ dos alunos da Escola André de Resende. 

À escola, aos professores, aos pais pacientes e que se riram com o fixemóbil e aos outros que não se riram, obrigado  também, e, sobretudo, aos alunos entusiasmados, questionadores e muito interventivos, o nosso muitíssimo obrigado. 

Na próxima semana regressaremos à Escola André de Resende. Desta vez em plenário, para três turmas ao mesmo tempo, cerca de 75 alunos de vários anos de escolaridade, para apresentar aquilo que aprendemos durantes este dois dias. E continuaremos a aprender na discussão que teremos ao longo dos 50 minutos que durará a sessão.

No terceiro momento, na sequência da nossa dupla passagem pela Escola André de Resende, entregaremos um pequeno relatório, reflexo de todas as nossas aprendizagens.

Para a semana, 2ª e terça feira , estaremos na Escola Gabriel Pereira. E na 4ª feira num seminário ao final da tarde na DGESTE, aberto a toda a comunidade. Se se interessa por estas questões da mobilidade, apareça! Consulte o nosso site: fixecity.net.

Fernando Moita, 23/10/2019

Ir para a barra de ferramentas